A utilidade das adversidades



Por isso, devia o homem firmar-se de tal modo em Deus, que lhe não fosse mais necessário mendigar consolações às criaturas. Assim que o homem de boa vontade está atribulado ou tentado, ou molestado por maus pensamentos, sente logo melhor a necessidade que tem de Deus, sem o qual não pode fazer bem algum. Então se entristece, geme e chora pelas misérias que padece. Então causa-lhe tédio viver mais tempo, e deseja que venha a morte livrá-lo do corpo e uni-lo a Cristo. Então compreende também que neste mundo não pode haver perfeita segurança nem paz completa. (Tomás de Kempis, Da utilidade das adversidades - Imitação de Cristo)

Postagens mais visitadas deste blog

IMPERDÍVEL SERMÃO DE PADRE ANDERSON BATISTA - Senhor dai-nos um novo São Pio X.

RENÚNCIA AO MINISTÉRIO DE PREGAÇÃO

Nossa Senhora de Fátima 100 anos, os apelos de sua mensagem: